ASEAN Fechará Um Acordo Com a Rússia

Ministros das Relações Exteriores da ASEAN estão definidos para fechar um acordo com a Rússia sobre questões de segurança cibernética.

O Sudeste Asiático está buscando fechar um acordo de segurança cibernética em breve com a Rússia, que os Estados Unidos tem acusado repetidamente de ter interferido nas eleições, após uma sequência de hacks de alto nível na região, de acordo com um rascunho de um documento oficial.

O documento mencionado acima fala sobre a formalização de um acordo com a Rússia. Está definido para ser emitido pelos ministros das relações exteriores de 10 membros da Association of Southeast Asian Nations (ASEAN) ao final da reunião em curso com outros formuladores de leis em Cingapura.

O documento apresentou também que um primeiro rascunho foi acordado em negociações em um código de conduta no disputado Mar da China Meridional e reafirmou o objetivo da ASEAN de assinar um pacto comercial ambicioso apoiado pela China.

“Nós saudamos o fortalecimento maior da nossa cooperação em segurança cibernética com a Rússia através da emissão da declaração da ASEAN e dos ministros das relações exteriores da Rússia sobre a cooperação no domínio da segurança cibernética”, afirmou o documento preliminar.

Está programado para o documento ser publicado no sábado e o título seria atualizado com base nas negociações, explicou o documento.

Cingapura, que recebeu a reunião da ASEAN, vivenciou seu pior ataque cibernético quando hackers roubaram informações pessoais de cerca de 1,5 milhões de pessoas de uma base de dados da área de saúde do governo em julho. Os dados roubados incluem alguns sobre o primeiro ministro Lee Hsien Loong.

A Malásia declarou no início deste ano que interceptou uma tentativa de roubo cibernético no seu banco central.

Nem Cingapura, nem a Malásia indentificaram os hackers, nem tão pouco deram pistas de uma suspeita de envolvimento da Rússia, que nomeou um embaixador dedicado para ASEAN com sede em Jakarta no ano passado.

A agência de inteligência dos EUA que uma divisão de propaganda russa tentou se intrometer na eleição presidencial de 2016, publicando e comprando anúncios no Facebook. O Kremlin já negou envolvimento.

O Facebook declarou na terça-feira que identificou uma nova campanha de influência política coordenada para confundir seus usuários e perpetuar a dissensão entre os eleitores antes das eleições para o Congresso dos EUA em novembro.

A declaração referia-se também ao primeiro rascunho para começas as negociações para um código de conduta no mar do sul da China, que tem estado no centro de reivindicações sobrepostas pela China e outras nações do Sudeste Asiático.

De acordo com a declaração, o esboço foi alcançado em uma reunião na cidade de Changsha, no centro da China, em junho. O esboço formará a base de discussões adicionais provavelmente prolongadas antes de uma versão final ser escolhida.

Por outro lado, os críticos sugeriram que a ênfase em alcançar um acordo para o código de conduta funciona a favor da China, uma vez que poderia ser usada como uma tática de demora para amenizar as críticas à militarização das ilhas artificiais na região.

A declaração vem à luz das políticas comerciais protecionistas nos Estados Unidos. Também enfatizou o compromisso dos membros da ASEAN em alcançar um grande acordo comercial chamado de Regional Economic Comprehensive Partnership, ou RCEP.

“Nós reiteramos a prioridade dada pela ASEAN ao RCEP como peça central de suas relações econômicas externas, particularmente em um momento de crescentes incertezas no comércio global”, afirmou.

Deixe uma resposta

Tema: Baskerville 2 por Anders Noren

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: